Saúde da Próstata

PROSTATA

Como Prevenir o Câncer de Próstata

A causa exata do câncer de próstata não é conhecida, portanto, não é possível impedir a maioria dos casos da doença. Muitos fatores de risco como idade, raça e histórico familiar não podem ser controlados, mas baseados no que se sabe atualmente, existem riscos que podem ser evitados para reduzir o risco de ter câncer de próstata.

Peso corporal, atividade física e dieta

Os efeitos do peso corporal, atividade física e dieta no risco de câncer de próstata não são claros, mas existem alguns fatos que podem reduzir esse risco, como:

  • Comer uma grande variedade de vegetais e frutas diariamente.
  • Ser fisicamente ativo.
  • Manter um peso saudável.

Vitaminas, minerais e suplementos

Vitamina E e selênio. Alguns estudos preliminares sugeriram que tomar determinados suplementos vitamínicos ou minerais, como vitamina E ou selênio, poderiam reduzir o risco de câncer de próstata. Entretanto, um grande estudo para avaliar os possíveis efeitos do selênio e da vitamina E sobre o risco do câncer de próstata, mostrou que nem a vitamina E, nem o selênio reduziram o risco do câncer de próstata.

Câncer de próstata: a melhor prevenção é o diagnóstico precoce

O câncer de próstata é o segundo tumor mais frequente entre os homens brasileiros, depois do câncer de pele.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), são previstos 68.220 novos casos da doença no país para cada ano do biênio 2018-2019.

Isso corresponde a um risco estimado de 66,12 novos casos a cada 100 mil homens.

Segunda causa de morte por câncer entre os brasileiros do sexo masculino, o câncer de próstata causa em média 14 mil óbitos por ano no país.

Diante dos custos com o tratamento da doença e o prejuízo para a qualidade de vida dos pacientes, as operadoras de saúde estão cada vez mais empenhadas em campanhas de esclarecimento e prevenção, voltadas principalmente para incentivar o diagnóstico precoce

.

A maior movimentação em torno do tema se dá em novembro, mês escolhido para marcar um esforço mundial de conscientização sobre a doença.

Aqui no Brasil, este movimento é conhecido como Novembro Azul.

A seguir, você vai entender por que a sua operadora também deve se juntar a este esforço e conhecer algumas estratégias fundamentais para a prevenção do câncer de próstata entre seus beneficiários.

Custos do tratamento de câncer de próstata

Os custos decorrentes do tratamento da doença envolvem diárias hospitalares, medicamentos e dispositivos médicos implantáveis (DMI), bem como procedimentos cirúrgicos ou materiais que incluem operação para retirada da próstata, raspagem e tratamento quimioterápico.

De acordo com um levantamento feito em 2015 pela Orizon, empresa especialista em análises de inteligência em saúde, o gasto médio para o tratamento de câncer de próstata no Brasil era de R$ 12.501,55.

Basta um rápido cálculo multiplicando esse valor pelo total de novos casos previstos pelo INCA para se ter uma ideia do prejuízo causado pela doença no caixa das operadoras de saúde.

Outra perda importante causada pelo câncer é na qualidade de vida do paciente.

Assim como na maioria das doenças da próstata, a condição gera uma série de incômodos, como vontade excessiva de urinar, ardência, dificuldade de prender a urina etc.

O agravante é que se trata de uma doença mortal, caso não seja tratada a tempo.

Se descoberto nos estágios iniciais, o câncer de próstata tem um índice de cura em torno de 90%.

Mas se for diagnosticado tardiamente, esse índice de sobrevivência do paciente cai para menos de 10%. Por isso a importância da prevenção.

Como prevenir o câncer de próstata

Apesar de haver fortes indícios de que mudanças na dieta e a prática de exercícios ajudem a reduzir os riscos de desenvolver a doença, a melhor forma de prevenir o prejuízos causados pelo câncer de próstata ainda é o diagnóstico precoce.

Para isso, o indicado é que seja feita um levantamento do perfil de saúde dos beneficiários para identificar os homens que apresentam um ou mais fatores de risco para o câncer (idade, sobrepeso, histórico familiar).

A recomendação é que homens a partir de 50 anos realizem o exame de sangue PSA, que mede a dosagem do antígeno prostático específico, ingrediente do sêmen produzido pela próstata.

Quem tiver histórico de câncer na família deve iniciar o acompanhamento mais cedo.

Caso haja alguma alteração no PSA, é indicado o exame de toque retal.

Mesmo assim, o diagnóstico definitivo só ocorre após a realização de uma biópsia.

Devido ao preconceito que ainda existe com relação ao exame de toque, ainda há uma certa dificuldade das operadoras para engajar o beneficiário nas campanhas de prevenção.

Nestas ações, é preciso deixar claro que trata-se de um exame rápido (no máximo 15 segundos) e praticamente indolor, que é fundamental para identificar a presença de um tumor.

Por isso, uma boa ideia para o mês de novembro é organizar palestras educativas e promover conversas particulares com profissionais da saúde para que os homens possam tirar suas dúvidas e deixar de lado o receio de fazer o exame preventivo.

Todos os homens devem fazer exames de rotina?

Na sua operadora, as estratégias para a prevenção primária da doença devem envolver todos os homens a partir dos 45 anos.

Afinal, não há nenhum prejuízo em estimular a boa alimentação e a prática de atividade física.

Com os exames de rotina a coisa é diferente, por se tratar de uma ação de prevenção secundária.

Ou seja: serve para identificar portadores da doença em seus estágios iniciais com o objetivo de aumentar as chances de sucesso de um possível tratamento.

Nesse caso, tanto o Ministério da Saúde quanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomendam que se faça o rastreamento com homens sem sinais ou sintomas da doença.

Essa recomendação deve-se ao fato de que estes exames podem trazer tanto benefícios quanto riscos à saúde.

O benefício principal, é claro, está na chance de identificar o câncer de próstata logo no início, evitando que o tumor se desenvolva e chegue a uma fase mais avançada.

Por outro lado, ter um falso resultado indicativo de câncer (que depois é contrariado pela biópsia) pode gerar ansiedade e estresse desnecessário.

E como o tratamento pode causar impotência sexual e incontinência urinária, é preciso ter cautela no diagnóstico e acompanhar a evolução do tumor para ter certeza de que ele é realmente necessário.

6 Dicas para Prevenir o Câncer de Próstata

O câncer de próstata é a segunda principal causa de morte em homens. embora a causa da doença ainda seja desconhecida é bem provável que uma mistura complexa de vários fatores, incluindo genética, raça, dieta, estilo de vida e exposição a produtos químicos sejam os causadores da mesma. O câncer de próstata se torna mais comum em homens a partir dos 45 anos, e é muito raro em homens com menos de essa idade. Autópsias tem encontrado câncer na próstata em cerca de 30% dos homens na faixa dos 50 anos e mais de 80% dos homens em seus 70 anos. O histórico familiar também é importante. Se um pai ou irmão tinha câncer de próstata o risco é duas vezes maior. Se dois parentes próximos tiveram câncer da próstata o risco aumenta em até 5 vezes.

Embora não possamos mudar nossos genes ou evitar o envelhecimento, há algumas coisas que podemos para diminuir o risco de câncer de próstata

1. REDUZA A GORDURA ABDOMINAL

A gordura dentro do abdômen, chamada de “gordura visceral”, é metabolicamente prejudicial ao organismo. A gordura visceral é a gordura que se acumula nas camadas profundas do abdômen, envolvendo os órgãos internos como o coração, rins, fígado, estômago, intestinos e pâncreas. Ela é responsável pela produção de substâncias inflamatórias e altera índices hormonais de forma a aumentar o risco de muitos tipos de câncer, incluindo câncer de próstata. Atividades físicas periódicas e uma dieta com baixo índice glicêmico podem reduzir a sua gordura visceral.

2. CONSUMA VEGETAIS CRUCÍFEROS

Algumas pesquisas apontam que homens que comeram um dos vegetais crucíferos, mais de uma vez por semana tem até 40% menos probabilidade de desenvolver câncer de próstata. Isto pode estar relacionado com um produto químico, indol-3-carbinol, que tem efeitos sobre o metabolismo hormonal. Este mesmo produto químico tem sido associado a um risco menor de câncer da mama.

Veja lista de alguns vegetais crucíferos:

  • Brócolis;
  • Rúcula;
  • Couve de Bruxelas;
  • Couve-flor;
  • Repolho;
  • Couve chinesa;
  • Couve-galega;
  • Rabanete;
  • Agrião;
  • Folhas de mostarda;
  • Nabo

3. CONSUMA PRODUTOS DERIVADOS DO TOMATE

O trunfo vem do licopeno, o pigmento que dá a cor ao tomate. Na presença desse fitoquímico, as células defeituosas acabam interrompendo aquela multiplicação sem fim que dá origem à doença. O licopeno fica guardadinho em cada célula do tomate. Ao ser liberado, ele se espalha para boa parte do organismo, mas, por razões ainda não muito bem esclarecidas, vai parar em regiões como a próstata. É interessante notar que, entre os países com menor incidência de tumor na glândula, estão a Grécia e a Turquia, lugares em que o tomate é prestigiado diariamente no menu.

4. TER UMA VIDA SEXUAL ATIVA E SEGURA

Ejacular com frequência reduz o risco de câncer de próstata. De acordo com um estudo publicado recentemente na versão online da revista científica European Urology, homens que ejaculam pelo menos 21 vezes por mês têm um risco 20% menor de desenvolver este tipo de tumor.

5. CUIDADO COM A FALTA DE VITAMINA D

A deficiência de vitamina D está cada vez mais ligada a inúmeros problemas de saúde, incluindo doenças cardiovasculares, hipertensão, demência, perda óssea e vários tipos de câncer.

Veja lista de alguns alimentos ricos em Vitamina D:

  • Atum;
  • Sardinha;
  • Gema de ovo;
  • Bife de fígado;
  • Cogumelos..
  1. TENHA UMA DIETA SAUDÁVEL

Os laticínios são os maiores responsáveis pelo aumento do risco de desenvolvimento deste câncer. Muitos estudos mostram uma moderada elevação no risco do desenvolvimento do câncer de próstata associada à ingestão de produtos lácteos, incluindo leite (integral, semidesnatado e desnatado), queijos e sorvetes.As carnes também são vilãs neste processo, pois foi observado que uma dieta livre de carne pode reduzir o risco de homens desenvolverem o câncer de próstata.Inclua na sua alimentação frutas vermelhas, vegetais e legumes. E lembre-se, sempre evite os excessos.

Alimentos que protegem contra o câncer de próstata

Os alimentos indicados para prevenir o câncer da próstata são os ricos em licopeno, como o tomate e mamão, e os ricos em fibras e antioxidantes, como frutas, verduras, sementes e castanhas, que devem ser consumidos de forma regular para que sejam capaz de atuar na prevenção.

O câncer da próstata atinge principalmente homens com mais de 40 anos e histórico de câncer na família, e está ligado a uma dieta rica em alimentos processados como fast food, e carnes embutidas, como salsicha e linguiça, por exemplo.

Tomate: licopeno

O tomate é o alimento mais rico em licopeno, nutriente com o maior poder antioxidante para proteger as células da próstata contra alterações maléficas, como as multiplicações sem controle que ocorrem no crescimento do tumor. Além de prevenir o câncer, o licopeno também atua diminuindo o colesterol LDL (ruim) e protegendo o organismo de doenças cardiovasculares, como o infarto

A quantidade de licopeno que deve ser consumida para prevenir o câncer é de 35 mg por dia, o que equivale a 12 tomates ou 230 ml de extrato de tomate. Esse nutriente fica mais disponível quando o alimento é submetido a temperaturas elevadas, e por isso o molho de tomate tem mais licopeno que o tomate fresco. Além do tomate e seus derivados, outros alimentos ricos em licopeno são goiaba, mamão, pitanga e melancia

2. Castanha-do-pará: selênio

O selênio é um mineral encontrado principalmente na castanha-do-pará e que ajuda a prevenir o câncer por participar da morte programada das células, inibir a reprodução celular, atuar como antioxidante. Além da castanha, ele também está presente em alimentos como farinha de trigo, gema do ovo e frango

Vegetais Crucíferos: sulforafano

Os vegetais crucíferos, como brócolis, couve-flor, repolho, couve de Bruxelas e couve são ricos nos nutrientes sulforafano e indole-3-carbinol, nutrientes com efeito antioxidante e que estimulam a morte programada de células da próstata, prevenindo sua multiplicação em tumores.

Chá verde: isoflavonas e polifenóis

As isoflavonas e os polifenóis têm ação antioxidante, antiproliferativo e que estimula a morte programada das células, conhecida como apoptose.

Além do chá verde, esses nutrientes também presentes na maior parte das frutas e dos vegetais, nos grãos de soja e no vinho tinto.

Peixes: ômega-3

O ômega-3 é um tipo de gordura boa que atua como anti-inflamatório e antioxidante, melhorando a saúde das células e prevenindo doenças como câncer e problemas cardíacos. Ele está presente em peixes de água salgado como salmão, atum e sardinha, além de também estar em alimentos como linhaça e chia. Juntamento com o aumento do consumo de frutas, legumes e chá verde, também é importante reduzir a ingestão de gorduras saturadas, que estão presentes principalmente em carnes vermelhas, bacon, embutidos como salsicha, linguiça e presunto, fast food e alimentos industrializados ricos em gordura, como lasanhas e pizzas congeladas.

Próstata: o que é, onde fica, para que serve (e outras dúvidas)

A próstata é uma glândula, do tamanho de uma noz, presente no corpo do homem. Essa glândula começa a se desenvolver durante a adolescência, devido a ação da testosterona, e vai crescendo até chegar ao seu tamanho médio, que é de aproximadamente 3 a 4 cm na base, 4 a 6 cm na parte céfalo-caudal, e 2 a 3 cm na parte ântero-posterior.

Existem várias doenças relacionadas à próstata e podem aparecer em qualquer fase da vida, no entanto são mais comuns depois dos 50 anos de idade, sendo as principais a prostatite, a hiperplasia benigna da próstata ou o câncer. Por isso, é importante fazer exames regularmente a partir dos 45/50 anos para identificar precocemente problemas na próstata e alcançar a cura.

Onde fica localizada a próstata?

A próstata está localizada entre a bexiga e a pélvis do homem, estando à frente do reto, que é a porção final do intestino, e, por isso, é possível sentir a próstata através do exame de toque retal, realizado pelo médico.

Para que serve a próstata?

A função da próstata no organismo é produzir parte do líquido que forma o esperma, ajudando a alimentar e proteger os espermatozoides.

Quais as doenças mais comuns da próstata?

As principais alterações da próstata são o câncer, a hiperplasia benigna da próstata e a prostatite e podem ser causadas devido a herança genética, alterações hormonais ou infecções de vírus ou bactérias.

1. Câncer de próstata

Câncer da Próstata

Câncer da Próstata

O câncer de próstata é mais comum em homens com mais de 50 anos, mas também pode aparecer mais cedo, principalmente quando se tem histórico na família desta doença.

O tratamento do câncer de próstata é feito com cirurgia para remover o tumor, sendo necessário em alguns casos remover a próstata toda. Outras formas de tratamento que podem ser usadas juntamente com a cirurgia são a radioterapia e o tratamento com hormônios, para diminuir o tumor e reduzir o risco de a doença voltar. Além disso, mesmo após o câncer ter sido curado, é importante fazer exames regulares para identificar precocemente caso o tumor reapareça.

2. Hiperplasia Benigna da Próstata

Hiperplasia benigna da próstata

Hiperplasia benigna da próstata

A hiperplasia benigna da próstata, também conhecida como próstata crescida ou inflamada, é o aumento do tamanho da próstata, mas sem a presença de câncer. Esta é a alteração mais comum da próstata porque é normal um certo aumento natural da próstata com o passar da idade, mas no caso desta doença há um aumento maior do que o esperado.

O tratamento para a hiperplasia benigna da próstata pode ser feito através de remédios para relaxar o músculo da próstata, hormônios para diminuir o tamanho do órgão ou, nos casos mais graves, cirurgia para remover a próstata.

3. Prostatite

Prostatite

Prostatite

A prostatite é uma infecção na próstata, geralmente causada por infecções de vírus ou bactérias, podendo surgir também como consequência de uma infecção urinária mal tratada. Essa alteração também pode gerar o aumento do tamanho dessa glândula, mas de forma temporária, pois ela volta a diminuir após o tratamento.

O tratamento da prostatite é feito através do uso de antibióticos e de remédios para diminuir a dor, mas em alguns casos a internação hospitalar pode ser necessária para tratar a doença com medicamentos na veia.

Quais os sinais de alerta da próstata?

Os sintomas dos vários problemas da próstata são bastante semelhantes. Por isso, se acha que pode estar com alguma alteração na próstata, selecione o que está sentindo e descubra qual o seu risco:

  1. Dificuldade para começar a urinar
  2.  Jato de urina muito fraco
  3. . Vontade frequente para urinar, mesmo de noite
  4. . Sensação bexiga cheia, mesmo depois de ter urinado
  5.  Presença de gotas de urina na cueca
  6. . Impotência ou dificuldade para manter uma ereção
  7.  Dor ao ejacular ou urinar
  8.  Presença de sangue no sêmen
  9.  Vontade repentina para urinar
  10.  Dor na região dos testículos ou perto do ânus
  11. Na presença desses sintomas, deve-se procurar o médico urologista para identificar a causa do problema e iniciar o tratamento adequado.

    Como saber se a próstata está saudável?

    Para saber se a próstata está bem é preciso fazer exames como:

    • Toque retal: é a apalpação da próstata através do ânus do paciente, sendo utilizada para avaliar o tamanho e a dureza da próstata;
    • PSA: é um exame de sangue que contabiliza a quantidade de uma proteína específica da próstata, e resultados com valores elevados significam que a próstata está aumentada, podendo ser hiperplasia benigna da próstata ou câncer;
    • Biópsia: exame onde é retirado um pequeno pedaço da próstata para ser avaliado em laboratório, identificando alterações nas células que caracterizam o câncer;
    • Exame de urina: utilizado para detectar a presença de bactérias na urina e diagnosticar casos de prostatite.

    Esses exames devem ser feitos em qualquer idade na presença de sintomas de alterações na próstata e de acordo com as orientações do urologista. No entanto, é importante realizar o exame de toque 1 vez por ano após os 50 anos de idade ou após os 45 anos, em casos de histórico familiar de câncer de próstata, sendo importante lembrar que o câncer de próstata tem grandes chances de cura quando identificado logo no início

    Portanto mais do que nunca prevenção é a solução consulte seu medico regularmente mantenha seu exame sempre em dia ..